Temer diz que ninguém pode ter a paternidade das obras, inauguração é marcado por manifestação em Monteiro
10/03/2017 17:50

Temer diz que ninguém pode ter a paternidade das obras, inauguração é marcado por manifestação em Monteiro

A cidade de Monteiro recebeu na tarde desta sexta-feira o presidente da repúblic...

A cidade de Monteiro recebeu na tarde desta sexta-feira o presidente da república Michel Temer para a cerimônia de inauguração das obras da Transposição do rio São Francisco.

O presidente Michel Temer disse nesta sexta-feira (10) que ninguém pode ter a paternidade das obras de transposição do Rio São Francisco, uma vez que ela foi financiada pelo povo brasileiro por meio do pagamento de impostos. A declaração foi feita durante visita que faz à Paraíba.

Para Temer, a paternidade da obra só pode ser concedida ao contribuinte brasileiro. “Não quero a paternidade dessa obra. Ninguém pode tê-la. Ela é do povo brasileiro e nordestino porque foram vocês que pagaram os impostos que nos permitiram fazer essa obra”, disse o presidente

A população foi privada de ter acesso próximo ao local onde aconteceu a cerimônia, gerando revolta de muitas pessoas que se deslocaram de longe para participar do evento e foram obrigadas a ficar em uma distancia de pelo ao menos 1km do local.

Uma mutidão do lado de fora realizou uma manifestação pacífica reivindicando seus direitos bem como a reforma da previdência, a polícia e o exercito acompanhou os manifestante por todo o percurso, milhares de pessoas se aglomeraram na ponte sobre o Rio Paraíba local onde as águas passaram após a abertura das comportas.

Aos gritos eufóricos a população comemorou a chegada das águas gritando o nome do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva “LuLa”.

Em sete dias, o açude de Poções, em Monteiro, já estará cheio. “É uma enxurrada de água. Uma coisa emocionante”, disse o presidente sobre o acionamento da comporta que liberou água para chegar até o açude de Poções, em Monteiro. De Poções, em água segue para Camalaú e Boqueirão, o que deve ocorrer nos próximos dois meses.

O presidente brincou, citando dom Hélder Câmara: “Sou como a cana. Quanto mais eu sou moído, só consigo dar doçura”, enquanto discursava.

Temer e o o ministro da Integração Nacional, Helder Barbalho, estiveram acompanhados de políticos importantes do estado, como os senadores Cássio Cunha Lima (PSDB), Raimundo Lira (PMDB) e José Maranhão (PMDB); o deputado federal Veneziano Vital do Rego (PMDB); o prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo (PSD) e o vice, Manoel Junior (PMDB); do prefeito de Campina, Romero Rodrigues (PSDB) e do vice-prefeito da cidade, Enivaldo Ribeiro (PP); Cícero Lucena; do suplente no Senado Deca do Atacadão; dos deputados estaduais Bruno Cunha Lima (PSDB), Tovar Correia Lima (PSDB), Daniella Ribeiro (PP), Renato Gadelha (PSC) e vários outros.